4 de abril de 2011

As raparigas que sonhavam ursos

Autor: Margo Lanagan
Género:
Fantástico

Idioma: Português
Editora: Guerra & Paz
Páginas: 408
Preço: € 16,65
ISBN:  978-9-89-817485-7
Título original: Tender morsels

Avaliação:
*** (mediano)


As raparigas que sonhavam ursos tem uma capa e título enganadores, que poderão  remeter para  um imaginário infantil. Isso está longe da realidade, pois o livro ficciona temas bastante adultos (como o incesto e a zoofilia), nada condicentes com o felpudo urso que aparece  a abraçar duas meninas.

A adolescente Liga, abusada pelo pai e depois por um grupo de rapazes, sozinha com duas filhas pequenas (a delicada Branza e a aguerrida Urdda), está desesperada, pensa em morrer. Levada ao limite pelo isolamento e pela violência sofrida, cria um mundo paralelo - o seu céu - onde se refugia.

Nele, vive feliz com as suas meninas
, num mundo que não é real. Apenas Liga e as filhas o são, protegidas da maldade dos homens, vivendo as suas vidas longe da realidade.

A pontuação positiva atribuída deve-se a um terço do livro (as primeiras 120 páginas são o melhor do todo), mas a originalidade e frescura extinguem-se e dão lugar a páginas chatas e que vão perdendo gradualmente o interesse; a autora tem  o condão de misturar temas violentos com descrições cândidas e mimosas mas ao final de algum tempo, a história torna-se aborrecida demais.


Sinceramente, quando cheguei ao final do livro, fiquei desiludida; quando comecei  a leitura estava agradada com a narrativa e as últimas 100 páginas foram feitas mais para cumprir calendário que por gosto; esperei que melhorasse ou acabasse em beleza e isso não aconteceu.


O livro tem pormenores engraçados e as várias vozes narrativas ajudam ao ritmo  mas, no geral, fica abaixo do esperado.

6 comentários:

Rafeiro Perfumado disse...

Além de que o título é um bocado urso...

Barroca disse...

Mas olha que os ursos desta história têm muito pouco de "ursos", e mais não digo. ;)

Vespinha disse...

Acabei de o ler, e achei-o totalmente desadequado para miúdos. Há páginas aborrecidas, sem dúvida, mas no cômputo geral gostei bastante. Do ritmo, da variação de narradores, do contraste entre terror e paz.

barroca disse...

não é para miúdos, definitivamente, vespinha. eu gostei da ideia e o início do livro é bom, mas para mim foi perdendo o interesse. mas é bom variar de temas e narrativas, até porque o importante é ler! ;)

Laura disse...

Acabei de ler o livro e concordo com o que foi escrito. As primeiras páginas são interessantes, mas depois começa a ser aborrecido... Acho que as páginas lá para o final só foram para por mais folhas e para despachar...

barroca disse...

Exactamente o que eu penso, Laura. Uma boa ideia que ficou por isso mesmo. ;)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...