25 de dezembro de 2019

Permanent record


Autor: Edward Snowden
Género: Biografia, Política
Idioma: Inglês
Duração: 11h e 31min
Editora: Pan MacMillan (Audible)
Ano: 2019

---
Permanent record saiu há uns meses, em Setembro. 

O livro em si não precisava de publicidade mas a instauração de um processo contra o autor por violação dos acordos de confidencialidade quando era contratado dos serviços de inteligência norte-americanos, pouco tempo depois da publicação criou um efeito contrário - o efeito streisand -, referido por Snowden aquando de uma entrevista ao Daily Show, criando ainda mais élan

Quando livro saiu, já muito tinha sido escrito e discutido sobre as acções de Snowden, que vive na capital russa desde Junho de 2013. Mas esta é a versão de Snowden, começando pela sua infância nos subúrbios, passando por uma adolescência atribulada com o divórcio dos pais e muitas faltas à escola até à percepção de uma facilidade acima da média em informática, fruto de ser um utilizador intensivo da internet, até à entrada no mundo do trabalho, primeiro como militar e depois como contratado de empresas-fachada para os serviços de inteligência.
 

O livro surge depois de vários documentários e um filme de Oliver Stone, depois de várias entrevistas dadas por Snowden e inúmeros artigos jornalísticos e posts de celebridades e/ou de anónimos, numa amálgama de informação relativa à revelação dos detalhes dos programas de vigilância do governo dos Estados Unidos, onde vários validam a teoria de "big brother is watching" e outros se recusam a acreditar.

Dito isto, a narrativa é bastante credível. Mesmo que haja dúvidas sobre as motivações de Snowden, poucos acreditarão hoje em dia que não existam condições para a existência da chamada vigilância em massa das massas, e que os governos (não apenas o norte-americano) não aproveitem a oportunidade para o fazer - e a tentação existirá, podemos dizer com segurança. 
 
Só este facto é suficiente para nos chamar a atenção e suscitar o debate. É a nossa privacidade, mesmo que não tenhamos "nada a esconder". Qualquer oposição governamental/institucional deverá ser vista com desconfiança e contestada; numa altura em que os políticos têm uma credibilidade quase nula, cabe ao cidadão estar  informado e usar a globalização a seu favor, em vez de permitir que lhe digam o que pensar. 
 
Leitura recomendada.
 
****
(bom)

Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...