10 de agosto de 2020

Mexican gothic


Autor: Silvia Moreno-Garcia
Género: Romance Gótico, Terror
Idioma: Inglês
Páginas: 320
Editora: Del Rey (Kindle)
Ano: 2020
  
---
Há séculos que não lia um autor mexicano, gosto da temática gótica e achei a capa encantadora - comprei assim que acabei de ler o excerto disponível na Amazon.
A acção de Mexican Gothic passa-se no México dos anos 50. A protagonista é Noemí Taboada, uma jovem socialite que beneficia de todas as vantagens que a beleza e a riqueza da família lhe permitem usufruir. É esperado que aproveite as coisas boas da vida e arranje um marido à sua altura.

Uma noite, o pai de Noemí chama-a mais cedo de uma das muitas festas que frequenta. A razão prende-se com a chegada de uma carta da prima Catalina, casada recentemente com um inglês, Virgil Doyle. A carta deixou o pai de Noemí inquieto, e a jovem deverá viajar até High Place, uma mansão situada no meio das montanhas, longe dos prazeres cosmopolitas, para ver o estado de espírito de Catalina e fazer-lhe companhia.

Noemí chega assim a High Place: imponente, sombria, decrépita. A combinar com a mansão está a nova família da prima, pertencente à velha nobreza britânica, cuja riqueza foi amealhada através da exploração das minas de prata que no passado, puseram a pequena cidade de El Triunfo no mapa.
 
Faz anos que as minas fecharam, a cidade é cinzenta, a anos-luz da Cidade do México. Apesar disso, Noemí continua a usar as suas roupas da moda, a desfiar o seu repertório citadino e espevitado, recusando-se a ser intimidada pelos Doyle e pelo mofo do seu quotidiano. De frios olhos azuis e baça pele clara, a família não acolhe bem Miss Taboada. O  marido de Catalina minimiza o estado de saúde da esposa e a preocupação de Noemí. O patriarca é um velho arrepiante e inadequado nos comentários. A irmã mais velha age como uma governanta autoritária e o filho Francis é uma sombra, pouco ou nada falando.

Então começam os sonhos. Noemí começa a tê-los todas as noites e os sonhos ficam cada vez mais perturbantes e ameaçadores. O dilema entre ficar ou partir instala-se e é impossível de ignorar, agudizado pela hostilidade dos Doyle - Francis parece ser o único capaz de ser gentil e educado. Quando Noemí começa a ter alucinações, é a gota de água. Decide partir com Catalina, mas não será uma tarefa fácil.
“This house is sick with rot, stinks of decay, brims with every single evil and cruel sentiment.”
Mexican Gothic é incrivelmente atmosférico. A escrita de Silvia Moreno-Garcia é vívida e cria sem dificuldade um ambiente claustrofóbico. As características do estilo gótico estão todos lá: a bruma, a mansão bafienta, a iluminação à luz de velas e uma atmosfera erótica, mas o folclore mexicano traz frescura a um género dominado pela simbologia dos Ingleses no século XVIII (A. Radcliffe, H. Walpole, M.G. Lewis).
 
Menos bem conseguido é a ausência de cultura mexicana e o feeling dos anos 50. Apesar da acção se passar no México, a história é quase exclusivamente passada em High Place, com arquitectura e costumes ingleses. Os Doyle e Catalina são personagens unidimensionais.

A história demora o seu tempo a desenvolver, em "crescendo" atmosférico até cerca de 70% do livro (o Kindle não falha na precisão). Noemí Taboada é uma protagonista forte e desenvolta, por quem torcemos até ao final.
 
Dentro do género, Mexican Gothic foi uma óptima descoberta.

****
(bom)

Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...