27 de abril de 2014

A marca de Kushiel (série Kushiel #2)


Autor: Jacqueline Carey
Género:
Fantasia
Idioma: Português

Páginas: 416
Editora:
Saída de Emergência

Colecção: Bang
ISBN:  978-989-637220-0
Título original: Kushiel's Dart
Tradução: Teresa Martins de Carvalho
---

A série Kushiel está a revelar-se uma das melhores sagas de fantasia que tenho lido, o que torna a leitura excitante e bastante apetecível; foram 416 páginas saboreadas com gosto que me estão a criar expectativas elevadas.

Neste segundo livro, encontramos Phèdre e Joscelin irremediavelmente apanhados numa intriga política de proporções avassaladoras, que ameaça a soberania de Terre D'Ange.

Escravizados pelos nórdicos Skaldi, os dois D'Angeline tentam sobreviver num território hostil, rodeados de estranhos que não os compreendem nem os respeitam. Porém, o seu espírito forte assegura-lhes a sobrevivência e a fuga, e dá-lhes força para tentar impedir uma invasão bárbara que visa destruir tudo o que conhecem e todos os que amam.
 
As aventuras em catadupa, as batalhas sangrentas e as pitadas acertadas de fantasia tornam a leitura viciante e cheia de emoções. A reinterpretação do Cristianismo feita pela autora é inteligente e bem integrada na estória.

Estou a gostar cada vez mais de ler esta saga, que deixa adivinhar excelente horas de leitura. É surpreendente a forma como Jacqueline Carey conseguiu dar uma frescura inesperada às estafadas lutas de poder e intrigas palacianas.


O que nos espera em A marca de Kushiel? Um enredo cheio de acção e emoção, personagens inesquecíveis e uma grande capacidade de descrição de uma autora que nos envolve desde as primeiras páginas.

Se não gostam de uma narrativa complexa, intrincada e com um toque de picante, evitem o livro. Se um conteúdo adulto e uma galeria numerosa de nomes não vos assusta, é dar uma hipótese a esta autora e não adiar a leitura desta saga, cuja narradora, Phèdre, é uma mestre de cerimónias magnífica.

A editora disponibilizou um excerto do livro aqui.

****
(bom)

2 comentários:

Fiacha disse...

Olá :D

Sabia que ias gostar, ou digamos fico contente que tenhas gostado e penso que agora que acabaste de ler o de porque criticar a divisão deste primeiro volume é que tudo está devidamente planeado para encerrar um ciclo e ao dividirem os livros pode fazer com que os leitores logo ali desistam pois o enredo não é tão simples quanto isso, mas lá se vai encaixando e fazendo sentido à medida que vamos avançando.

Penso que ficou bem fechado tirando ai um pequeno pormenor a misteriosa Melisande e o que ainda a vais desejar ahahaha, querer saber mais dela, eu fiquei apanhadinho por ela :P

Grande personagem Jacquelin, ai que ainda vais ter tantas e tão boas surpresas quanto mais lês Carey mais a vais admirar, adoro e lutarei sempre por a divulgar ;)

Bjs e boas leituras

barroca disse...

Oi!

Estou a gostar da saga e estou ansiosa por continuar. Tenho lido no original por isso a divisão dos livros não me afecta. ;)

mas há que divulgar a autora e as suas obras, leia-se em português ou outra língua.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...